PUBLICIDADE

Mais é mais

Conhecido por seus décors exuberantes, cheios de cores, texturas, estampas e objetos, Sig Bergamin conta como sua casa foi mudando de acordo com as fases de sua vida. Ela não é estática, e sempre recebe coisas que ele garimpa e das quais gosta. Junto com o marido e também arquiteto Murilo Lomas, seu programa em São Paulo é curtir a casa ao máximo!

Por: Vinícius Vitoriano. Foto: Bjorn Wallander

Fiz essa casa há muitos anos, e ela passou por diversas transformações. Também passei. Vivi muita coisa. Vi muita coisa, conheci, aprendi, viajei. A casa é um reflexo dessa transformação, das fases da nossa vida, das mudanças do tempo. E logo vai mudar de novo, porque estou mudando também. É uma constante transformação. 

Sempre estou atento a tudo ao meu redor. Tudo mesmo. A inspiração e as ideias vêm muitas vezes de um filme, de uma leitura de livro, da observação de uma cena do cotidiano. Tudo é inspiração. E nisso descobrimos tantas coisas bacanas, tantos objetos inusitados. Não existe um fornecedor, uma loja apenas em que busco as coisas. Qualquer lugar pode ter algo mágico que transforme o décor de uma casa. Inclusive na natureza. E se gosto e me inspira, encontro um lugar para a peça.  

Com certeza, após a pandemia, o maximalismo será uma forma de trazer mais alegria para os ambientes. As atenções se voltaram para dentro de casa. As pessoas estão comendo menos na rua, saindo menos, então a casa voltou a ser protagonista das nossas vidas. Dessa forma, o conforto, o bem-estar, uma decoração que alegra os olhos ganharam muita importância. A casa deixou de ser o espaço ao qual íamos apenas para dormir. E isso naturalmente faz as pessoas serem mais “maximalistas”. 

No living, obras de arte, muitas flores, bibelôs trazidos das viagens, pilhas e pilhas de livros, além da característica marcante de Sig: a sábia combinação de estilos, estampas e cores. Abaixo, Sig Bergamin e Murilo Lomas curtem a casa e adoram produzir mesas diferentes para cada refeição.

compartilhe

Share on facebook
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on twitter
PUBLICIDADE

Você pode gostar

A Vila Ipojuca e seus arredores

A vila vem passando por constantes transformações em seu entorno que resultam numa nova visão em relação à região, em bora ainda preserve o “jeito de bairro” que agrada tanto aos moradores quanto aos visitantes.

continuar lendo...

Que pão

Ingredientes brasileiros, savoir-faire francês, alma caipira e jeitinho de empório europeu estão no DNA da padaria St. Chico, que abriu nova unidade na Rua dos Pinheiros.

continuar lendo...

Assine nossa newsletter!

Receba avisos sobre novos artigos e novas edições do jornal.