PUBLICIDADE

Praça Gastão Vidigal

Conhecida como Praça do Ovo, é ponto de encontro e lazer de pessoas de todas as idades e interesses

fotos: divulgação
ilustração: Bruna Barros

Difícil achar quem more na região da Faria Lima e não frequente a Praça Gastão Vidigal. Localizado no coração do Jardim Paulistano, entre as ruas Desembargador Mamede e Laerte Assunção, e preservado pela associação de moradores da região dos Jardins América, Europa, Paulista e Paulistano, a Ame Jardins, o local, que é também conhecido como Praça do Ovo, atrai pessoas de todas as idades e interesses.

Bonita e arborizada, a praça tem espaço para prática de esportes, passear com o cão, ler um livro ou apenas bater papo, encontrar os vizinhos, reunir a família e se distrair. Possui ainda um playground, reservado apenas para crianças e pais ou acompanhantes. Nos fins de semanas, há ainda picolé e água fresquinha, garantidos pelo sorveteiro ao cair da tarde.

DICAS

Para que o seu passeio seja um sucesso, não se esqueça de usar filtro solar e repelente. Leve lanchinho e bebida se pretende ficar bastante tempo, já que não há nenhum comércio por perto, e vá ao toalete antes de sair de casa, pois não encontrará por ali. Se levar seu cão para passear, respeite os locais delimitados e não deixando que ele entre na área do playground.

SUA OPINIÃO

Se você quer apoiar o trabalho de preservação da praça, tirar dúvidas ou enviar sugestões, mande uma mensagem para grupopracagastaovidigal@gmail.com.

QUEM FOI GASTÃO VIDIGAL?

Advogado e político brasileiro. Nasceu em 15 de maio de 1889, formou-se em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), participou do quadro diretivo da Associação Comercial de SP, foi deputado federal e ministro do Estado da Fazenda do governo de Eurico Gaspar Dutra. Participou da diretoria de diversos bancos, contribuiu ativamente na gestão de inúmeras instituições e fundou o Banco Mercantil.

Praça Gastão Vidigal – Rua Desembargador

Mamede, 119 – Jardim Paulistano

Os jardins paulistanos rendem uma boa passarinhada

As pessoas muitas vezes se surpreendem com o fato de a cidade de São Paulo abrigar mais espécies de aves (465, de acordo com a enciclopédia WikiAves) do que países como Itália (390) e Portugal (435).

A explicação está na localização da capital paulista (bioma de Mata Atlântica, ou do que sobrou dela), na presença de parques e bairros arborizados e na maior conscientização quanto à necessidade de preservação das aves e do meio ambiente em geral, com moradores plantando árvores frutíferas e outras que atraem passarinhos – como amoreiras, flamboyanzinhos e pitangueiras – nas calçadas e em seus próprios jardins.

O movimento – muito positivo – só tem aumentado. Grupos de observadores de aves amadores, conhecidos como birdwatchers, crescem, assim como os eventos, a ponto de chamar a atenção até da grande imprensa, esta normalmente tão voltada aos temas essencialmente urbanos, para o assunto.

Eu mesma, que já fui “passarinhar” na Amazônia e no Pantanal, tive um pouco de preconceito com relação a observar aves na capital paulista.

Bobeira minha! Não é que em uma árvore na rua atrás da minha casa, no Jardim Paulistano, antes das 7h da manhã, a caminho da prática de ioga, escuto um “toc-toc” e deparo com um lindo pica-pau-de-cabeça-ama-rela (Celeus flavescens)? Naquele dia, atrasei dez minutos, para a prática, pois tive que voltar correndo e pegar a câmera para o importante registro.

Além do pica-pau, o bairro, próximo às movimentadas avenidas Rebouças e Faria Lima, abriga almas-de-gato (Piaya cayana), sabiás-laranjeiras (Turdus rufiventris), bem-te-vis (Pitangus sulphuratus), sanhaços-cinzentos, pombas-de-bando (Zenaida auriculata), corujas-orelhudas (Asio clamator), gaviões-carcará (Caracara plancus) e os barulhentos e animados periquitos-ricos (Brotogeris tirica), entre outras belezuras.

Como avistá-los? Aguçando a sensibilidade, os ouvidos e os olhos nas caminhadas por ruas arborizadas, praças e parques. Plantar uma árvore frutífera ou colocar frutas em um prato no quintal, ou mesmo janela, já garante avistar uns passarinhos sem sair de casa.

Comece o programa pela sua rua ou pela Praça Gastão Vidigal.

Horta mirim da praça Gastão Vidigal

Em prol da educação e do divertimento, o novo projeto já está chegando neste mês! A Horta Mirim terá o intuito de unir pais e filhos para cuidar da terra e dos alimentos. Para isso, serão instalados oito canteiros triangulares elevados. A ideia é ensinar as crianças a trabalhar em equipe e aprender o senso geográfico do espaço, relacionando com trajetórias do sol e estações do ano. O trabalho de implantações será efetuado em mutirões semanais que serão coordenados por uma dupla de oficineiros. Para realizar o projeto, sua contribuição é essencial. Dúvidas e sugestões de interessados em apoiar essa causa: basta mandar um e-mail para o endereço grupopracagastaovidigal@gmail.com ou entrar em contato pelo telefone (11) 99633-5590, tratar com Manuela.

compartilhe

Share on facebook
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on twitter
jornal aQuadra - vida de bairro - Jardins

PICA-PAU DE CABEÇA AMARELA

O seu “toc-toc” pode ser escutado nas árvores mais frondosas do bairro

jornal aQuadra - vida de bairro - Jardins

SABIÁ LARANJEIRA

Ave-ícone e madrugadora de São Paulo, o sabiá-laranjeira é figurinha fácil nas ruas dos Jardins

jornal aQuadra - vida de bairro - Jardins

BEM-TE-VI

Outra ave bem popular nos jardins da capital, foi batizada pelo canto: “Bem-te-vi!”

jornal aQuadra - vida de bairro - Jardins

SANHAÇO CINZENTO

Outra gracinha que adora degustar as frutas das amoreiras e pitangueiras das nossas ruas

jornal aQuadra - vida de bairro - Jardins

PERIQUITO RICO

Barulhento e animado, este periquito é comumente chamado de “maritaca”

PUBLICIDADE

Você também pode gostar...

Lina bo Bardi - Jornal aQuadra - ed.22 - Arquitetura

Lina e o leão

Italiana naturalizada brasileira, Lina Bo Bardi foi uma das mais importantes arquitetas da nossa história. Famosa pelos projetos do Masp e do Sesc Pompeia, Lina fez muito mais, como revela nesta breve conversa .

continuar lendo...

Assine nossa newsletter!

Receba avisos sobre novos artigos e novas edições do jornal.