PUBLICIDADE

O Amor Não Tem Idade

Entrevista - Artista plástica de sucesso, Beth Neves lança um livro sobre as diversas formas de viver o amor

por Juudite Scholz

Formada em Desenho Industrial pela FAAP e pós-graduada em Museologia pela Università Internazionale dell’Arte, na Itália, Beth Neves trabalhou muitos anos como designer têxtil para várias empresas, no Brasil e na França. Aos 60 anos, trocou o design pela arte e construiu uma carreira importante, com exposições mundo afora. Agora, desenvolve Pentimento, nova exposição de seu trabalho que combina colagens e desenhos, em camadas, e acaba de lançar o livro Uma relação sem nome, no qual aborda temas atuais de forma leve e profunda.

Como surgiu a ideia de escrever um livro?
Eu havia tido um câncer e, na pandemia, passei um ano fechada em casa. Preparei uma exposição inteira, fiz muitos retratos bordados, e não sabia mais o que fazer até mque um amigo me sugeriu escrever um livro.

É autobiográfico?
É um livro de autoficção. Virginia Woolf e Marguerite Duras eram assim, porque não existe um escritor que não utilize seu próprio histórico para escrever sobre algo.

Enquanto você conta a história, faz algumas reflexões?
Isso é o mais importante. O livro aborda a dificuldade que a personagem enfrentou ao deixar o filho com o pai ao se mudar para Paris para trabalhar; os quatro casamentos dessa mulher; o difícil divórcio que a afastou de relacionamentos por 10 anos e o reencontro com uma antiga paixão, que a levou a uma relação bem diferente, cujos encontros eram nos mais diversos lugares do mundo, a cada três meses.

É viável uma relação tão fora do padrão?
O personagem é um homem de 70 anos sem família, que preza sua liberdade e não quer criar laços, saiu de seu país para percorrer o mundo. Conto as agruras e as dificuldades de Luiza, 60 anos, em lidar com um homem com essa personalidade e com suas expectativas, a construção da relação, a percepção do equilíbrio entre sofrimento e prazer.

Há uma quebra de paradigmas?
Por meio dessa relação diferente, crio elementos para tratar de temas importantes. Dan foi um homem muito importante para ela e não precisa estar na casa dela para ser importante. Uma relação ultrapassa isso, é muito mais consistente pela própria distância. Temos uma ideia de amor romântico que obriga os parceiros a fazerem coisas que não fazem sentido para eles.

Você fez diversas descobertas ao escrever?
Posso dizer que esse livro foi uma cura. Faz rir e faz chorar, porque fala de situações da mulher de 70 anos, aquela que achava que seria a vovozinha cuidando dos netos. Fala de como a mulher se coloca com a idade, com seu corpo, com a aceitação desse corpo, com as doenças.

O amor não tem idade?
Não, não tem. Amor aos 60 é igual aos 15.

Criador e criatura: Beth Neves e seu livro Uma relação sem nome,
Editora Degustare. @beth_neves

compartilhe

compartilhe

PUBLICIDADE

Você pode gostar

Editorial jornal aQuadra edição 27

Editorial aQuadra 27

Neste momento em que a volta ao mundo presencial parece mais acelerada do que podíamos imaginar, com tantos eventos e compromissos, percebo que o resgate das relações é o que recuperamos de mais importante.

continuar lendo...

Assine nossa newsletter!

Receba avisos sobre novos artigos e novas edições do jornal.