PUBLICIDADE

A minha, a sua, a nossa cidade

Prevista desde 2014 para acontecer em 2021, a revisão do Plano Diretor Estratégico de São Paulo se deparou com a polêmica de ser realizada em um momento crítico gerado pela pandemia, de forma online, considerando que grande parte da população não tem acesso à internet.

por Judite Scholz

A minha, a sua, a nossa cidade - Jornal aQuadra Jardisn - ed 22

O Plano Diretor de São Paulo, que define os instrumentos de planejamento urbano para reorganizar os espaços da cidade e garantir a melhoria da qualidade de vida da população, foi aprovado em 2014, durante a gestão do prefeito Fernando Haddad,com a determinação de ser revisado em 2021, incluindo ajustes avaliados comonecessários para que seus objetivos sejam alcançados até 2029.No entanto, em função da pandemia da Covid-19, que deixou ainda mais evidente o déficit habitacional e levou ao aumento considerável do número de pessoas que passaram a morar nas ruas, urbanistas, ativistas e entidades especializadas sugerem que a revi-são seja adiada, a fim de priorizar o combate aos efeitos da pandemia.

“Acho que não é o momento de fazer essa revisão porque a gente ainda não sabe como vai viver nesse mundo novo, que levou ao home office e mudou a nossa maneira de pensar a vida.”

Maria Wilma Rispoli Marigo

Além disso, com o objetivo de garantir que o processo de revisão do Plano Diretor seja transparente e tenha a participação ativa e democrática da sociedade civil, o Instituto de Arquitetos do Brasil e mais 130 entidades solicitaram à prefeitura a garantia da participação efetiva da população e sugeriram etapas para sua revisão.

 “Como todo e qualquer instrumento legal, ajustes devem ser feitos, mas seguindo regras claras e deforma acessível a todos”, disse Fernando Túlio, presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil, lembrando que grande parte da população interessada não tem acesso à internet. Segundo a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano da Prefeitura da Cidade de São Paulo, um conjunto significativo de ações previstas foi executado ou está em andamento, mas pode haver outros que não saíram do papel. Realizar um balanço desse período é fundamental para que o objetivo final de todo esse processo possa ser efetivado, com propostas de aperfeiçoamento para pontos específicos do Plano Diretor de 2014, que foi apontado pela Organização das Nações Unidas (ONU) como uma das práticas mais inovadoras da Nova Agenda Urbana.

compartilhe

Share on facebook
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on twitter
PUBLICIDADE

Você também pode gostar...

Pedro Silva, uma olhadela

Nessa semana em particular, o trabalho do artista Pedro Silva, brasileiro radicado em New York, que também brilhou na edição 21. Pedro mistura a estética gráfica e plástica, com um traço marcante, enérgico e de poucos detalhes.

continuar lendo...

Entrelinhas

Enquanto rasgava o papel de seda amarelado e seco que envolvia cuidadosamente seu livro Sertões, luz e trevas, na edição alemã, que recebi, pensava nas marcas

continuar lendo...

Assine nossa newsletter!

Receba avisos sobre novos artigos e novas edições do jornal.