PUBLICIDADE

Editorial edição 23

Nada é tão nosso quanto os nossos sonhos, já dizia Nietzsche, o filósofo.

foto: Willy Biondani, ilustração: Francesca Gastone

Com esta edição, que marca um momento muito especial para mim – a comemoração de quatro anos do jornal –, tenho ainda mais convicção de que nunca devemos parar de sonhar, pois são os sonhos que nos impulsionam a seguir em frente e a ter motivos para continuarmos festejando, sempre.

Edição que se concentra na celebração de estarmos aqui. Nunca deixamos de ser otimistas, pois visualizamos uma realidade solidária, gente que atua em prol do coletivo, do outro, com ações e atitudes louváveis.

Nesta edição, demos voz a alguns visionários. A Ricardo Guimarães, que aponta em sua crônica para a necessidade de diálogo para lidar com quaisquer mudanças, inclusive as do bairro. Ao francês Alexandre Allard, que quer construir uma cidade consciente em pleno coração de São Paulo. E ao urbanista Philip Yang, que acredita que, quando bem planejada, a verticalização deveria ser sempre positiva.

O Q deste mês foi feito com uma técnica de caneta fina pelo artista Sergio Kal, cuja arte valoriza o tempo e a atenção ao que está ao nosso redor.

Seguimos no propósito de registrar o mundo contemporâneo, tanto no impresso como no digital, trazendo sempre as novidades. Nosso lema não é só informar e sim envolvê-los neste momento presente com uma visão mais consciente e mais feliz.

A comemoração fica completa com o Especial Higienópolis.

Viva aQuadra!!!

Helena Montanarini

Helena Montanarini

compartilhe

PUBLICIDADE

Você pode gostar

Editorial edição #24

Tenho a sensação de que estamos começando a sair do casulo, em um movimento de dentro para fora que tem a ver com a chegada de uma primavera especial que nos brinda com uma profusão de cores e aromas, deixando tudo mais bonito e inspirador.

continuar lendo...

Pura elegância

Com base nos cadernos de receitas e diários de jantares de Ema Klabin, Janka Babenco reuniu receitas que apresentam a culinária praticada em São Paulo dos anos 1950 ao final dos anos 1970.

continuar lendo...

Paternidade materna

Diante da correnteza de transformações que ocorreram do início do século 20 até os dias de hoje, homens e mulheres se percebem angustiados com as diferentes formas de relações, casamentos e famílias que já não são estruturas pré-moldadas.

continuar lendo...

Assine nossa newsletter!

Receba avisos sobre novos artigos e novas edições do jornal.