PUBLICIDADE

História Brasileira – O Sequestro do Voo 375

Dirigido por Marcus Baldini, o filme “O Sequestro do Voo 375”, baseado em uma história real brasileira, chega aos cinemas sete anos depois de iniciada a sua produção.

Em 1988, quando o Brasil vivia uma crise econômica severa, o desempregado Raimundo Nonato, a bordo de um Boeing 737-300 da Vasp, que ia de Rondônia para o Rio de Janeiro, anuncia o sequestro do avião que levava mais de 100 passageiros, e ordena a mudança de rota para o Palácio do Planalto, em Brasília, a fim de matar o presidente do Brasil, José Sarney. Para evitar a tragédia, o piloto acaba executando manobras que jamais haviam sido feitas com uma aeronave daquele porte.

Produtor e diretor do sucesso de bilheteria “Bruna Surfistinha”, “O Homem Perfeito” , “ Um a Quase Dupla” , “Os Homens São de Marte e é Pra Lá Que Eu Vou”, Baldini foi show runner da série “PSI”, indicada ao Emmy Internacional, dirigiu episódios da série “Preamar” para a HBO; episódios de “Ninguém Tá Olhando”, ganhadora do Emmy, e criou a série “Rei da TV”, para a Disney. Em 2024, iniciará as filmagens da série “Angosta”, produção internacional que adapta um dos mais importantes livros colombianos.

Embora tivesse apenas oito anos quando houve o sequestro do avião, ele conta que houve toda uma preocupação, não apenas com o funcionamento da aeronave e a dinâmica do voo, mas também de valorizar a nossa história. “Além do desafio técnico de linguagem cinematográfica, de fazer o avião ser de verdade, coordenar os passageiros para que as manobras ficassem realistas, tinha também o desafio de falar sobre o Brasil de 1988, a democracia recente no país, com ameaça da volta da ditadura. Desenvolvemos a história para que o filme não fosse simplesmente de ação, mas que tivesse a profundidade de discutir o Brasil daquela época, por isso a traição percorre o sentimento das pessoas: o povo tinha a esperança que a democracia trouxe ss e uma melhora de vida, o que não aconteceu, daí a atitude extrema de Nonato, o piloto Murilo reivindicava melhores condições de trabalho.”

É curioso: muitos brasileiros não conheciam essa história, mas o Bin Laden inspirou-se nela para planejar o 11 de setembro. “Acho interessante fazer um thriller de ação que fala sobre personagens brasileiros, sobre um herói brasileiro, trazendo reconhecimento para um herói que não foi reconhecido na época. Sinto que esse filme impacta as pessoas que vão ao cinema, elas saem surpresas e emocionadas, embarcam na história – e isso é a coisa mais satisfatória que um contador de histórias pode ter!”

@marcusbaldini

compartilhe

compartilhe

PUBLICIDADE

Você pode gostar

Editorial edição 23

Com esta edição, que marca um momento muito especial para mim – a comemoração de quatro anos do jornal –, tenho ainda mais convicção de que nunca devemos parar de sonhar, pois são os sonhos que nos impulsionam a seguir em frente e a ter motivos para continuarmos festejando, sempre.

continuar lendo...

Assine nossa newsletter!

Receba avisos sobre novos artigos e novas edições do jornal.